NASF PROMOVE CAFÉ DA MANHÃ COM RODA DE CONVERSA PARA GESTANTES COM PROFISSIONAIS DO PSF E EQUIPE DO NASF

 TEMA: Incentivo à amamentação e sua importância para o desenvolvimento do seu filho.

            No dia 7 de julho no Centro Reviver, ocorreu uma roda de conversa com as gestantes com a presença da equipe do NASF (Núcleo de Apoio à Saúde da Família), nutricionista Adalise, fonoaudióloga Gabriela, psicóloga Juliana, fisioterapeuta Hendra e também profissionais do PSF (Programa Saúde da Família), médica Dra. Natália e enfermeiras Paula, Ana Luiza, Crystiane e coodenadora da atenção básica Andrezza. Onde as gestantes puderam esclarecer várias dúvidas sobre a amamentação, desmistificando mitos sobre o tema e reforçando sua grande importância para saúde do bebê e da própria mãe.

             Foi proposto às gestantes um curso com os profissionais do NASF e PSF, onde mensalmente ocorrerão encontros, onde as gestantes receberão orientações dos diversos profissionais da saúde envolvidos.

A amamentação é a melhor maneira de alimentar a criança nos primeiros meses de vida, é ideal para o crescimento saudável e para o seu desenvolvimento. O leite materno é o alimento mais completo para os bebês. Com o leite materno, o bebê terá menos chances de desenvolver inúmeras doenças, como asma, alergias , rinite, bronquite, entre tantas outras.

Além de beneficiar o bebê, a amamentação também beneficia a mãe, pois, através desse ato, além de se criar um vínculo afetivo entre mamãe e bebê, a mãe se sente mais segura, menos ansiosa, seu útero volta ao tamanho normal rapidamente, além de apresentar menos chances de desenvolver anemia, hemorragias, câncer de mama e ovário. A mãe também estará menos propensa a sofrer com osteoporose e voltará ao peso normal com mais facilidade.

Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), “se todos os bebês fossem exclusivamente amamentados durante os seis primeiros meses de vida e continuassem a mamar até os dois anos de idade, quase um milhão e 300 mil crianças poderiam ser salvas, todos os anos, e outros milhares de meninos e meninas cresceriam mais saudáveis em todo o mundo”.